A cultura gamer no Brasil e um cenário versátil para as marcas endêmicas

18

nov

YoDa e Cellbit trocam ideias sobre a cultura gamer no Brasil

Escrito por: Edição

Os jogos surgiram a partir da década de 80 e já naquela época atraiam um público bem segmentado que ia até as lojas de fliperamas mais próximas para jogar e interagir com outros jogadores.

Apesar de na época os jogos ainda atraírem um público pequeno em comparação ao atual, a cultura gamer já estava, pouco a pouco, sendo formada e o mercado ia se aquecendo para lançamentos e novas tecnologias.

Após quatro décadas de desenvolvimento, diversas transformações tecnológicas e culturais aconteceram. Os jovens que antes se encontravam nas lojas para jogar fliperama, foram levados para dentro de casa, atraídos por jogos com uma pegada mais individual e menos interativa.

Com a chegada da internet, tudo mudou, a interação com outros jogadores cresceu consideravelmente através dos jogos online e passou a unir pessoas de cidades, estados e até países diferentes em uma mesma partida, fortalecendo as comunidades e a cultura gamer em si.

Receba nossos conteúdos por email

Assine nossa newsletter e receba todas as nossas atualizações do universo SehLoiro.

Com todas essas mudanças e novas tecnologias, o mercado que antes tinha uma forte correlação com crianças, principalmente com os meninos, foi ampliando o seu espaço e alcançando públicos mais versáteis, entre crianças, adolescentes e adultos de ambos os sexos, que se relacionam com diversos jogos, plataformas, streamers e influencers da área.

Para saber mais sobre os números mas recentes e um pouco mais sobre o mercado gamer e as suas oportunidades, convidamos você a conferir esse artigo.

Todo esse fortalecimento e crescimento contínuo, além de atrair novos públicos, também passou a atrair marcas e empresas em busca de proximidade com as comunidades.

Um cenário versátil e atrativo para as marcas

Com a chegada da internet e mais recente, as plataformas de streaming como o Twitch e Youtube, as comunidades foram se fortalecendo ainda mais, contando com novos streamers e gamers interessados na criação e no compartilhamento de conteúdos que vão além do entretenimento.

O público, que estima-se ser mais de 60 milhões de pessoas apenas no Brasil, adotou novos formatos de jogos e interação, e diferente dos fãs de música, por exemplo, a comunidade é muito mais versátil, acompanhando e curtindo mais de um estilo de jogo, streamer ou conteúdo ao mesmo tempo, o que amplia os horizontes para as marcas.

Plataformas de streaming como o Twitch, que tem se destacado fortemente dentro do universo gamer em todo o mundo, tem recebido mais e mais streamers pela grande oportunidade de criar e fortalecer um relacionamento mais duradouro com seus seguidores, através de oportunidades como chats e lives streaming.

Entre tantos pontos positivos e importantes para o cenário gamer brasileiro, algumas marcas endêmicas ainda têm tirado conclusões precipitadas da comunidade e da cultura em si, o que, consequentemente, tem levado a resultados contrários aos esperados quando entram no mercado em busca de alcance.

Toda aproximação exige cuidado e atenção, pois se for realizada de maneira incorreta e em busca somente de números, existem grandes chances de a comunidade identificar e agir de forma contrária a esperada, visto que o público, mesmo versátil, busca por conteúdos e marcas autenticas e para isso é muito importante contar com uma empresa de assessoria como a SehLoiro.

Para saber mais sobre a cultura e comunidade gamer, além de todos esses pontos importantes mencionados acima, convidamos você a conferir o segundo episódio do SehLoirocast, o podcast da SehLoiro, onde nos reunimos para levar até você informações e referências fantásticas desse universo.

Nesse episódio, que você pode conferir clicando aqui, conversamos com duas personalidades referências no mercado gamer, YoDa e o Cellbit, e pudemos ficar mais próximos e compreender melhor como é importante conhecer a comunidade antes de realizar ações a parte, entre tantas outras coisas.

Vem com a gente!

Compartilhe este artigo

Projeto YoGamers do Bem

O YoGamers do Bem (YGB) é um instituto sem fins lucrativos, idealizado pelo Felipe YoDa, que envolve não só colaboradores como familiares, fãs, alunos e toda a comunidade gamer. Tem como objetivo firmar parcerias com escolas públicas próximas de comunidades, que se interessem por receber ações nas disciplinas que envolvem o mundo gamer: games, entretenimento, diversidade, comportamento e empreendedorismo.

veja o vídeo

Receba atualizações por email

Dicas e novidades para influencers digitais e empresas que estão diretamente no mercado gamer!

Quero assinar a news!

Assine com seu email